Arquivo de junho 2010

Pra quem não viu a matéria no Fantastico…

Ponto eletrônico ajuda dona de casa a dar pitacos em jogoTem gente que acha que mulher não entende de futebol? A dona de casa Leda Silveira mostrou que não. Mas ela contou com uma ajudinha. Veja na reportagem de Maurício Kubrusly.

Em uma família, todos os amigos se preparam para assistir ao jogo da seleção brasileira. É aquela excitação, todo mundo se enfeitando, com maquiagem. Está quase na hora, os times entram em campo, a torcida está na cara. A bola rola na África. Mas em uma torcida tem um segredo: a dona da casa Leda Silveira esconde dentro de sua roupa um pequeno microfone. E, no seu ouvido, um fone vai dar as dicas para ela mostrar que entende tudo de futebol.

“Ela não entende quase nada de futebol”, disse o marido, o bancário Edilson Nascimento.

O resto da família não sabe nada, nem o marido. Ninguém prestou atenção numa vã parada ao lado da casa. Dentro dela, a jornalista Clara Albuquerque, que escreveu um livro sobre futebol, vai dar os toques para a dona de casa. “Vou dizer quando foi impedimento e quando não foi”, comenta a jornalista.

Clara vê e escuta tudo o que acontece na sala de sua casa. Ao mesmo tempo, acompanha o jogo. E logo vai passar umas dicas para Leda, a dona da casa, que a todo momento confere se o minireceptor está direitinho dentro da orelha direita. A cortina do cabelo ajuda a esconder.

Abaixo, mais fotinhas da gravação!!

Comments 13 comentários »

Você prefere mata-mata com ou sem emoção

Falem a verdade. Vocês, apaixonados por futebol, esperaram quatro anos para ver o Brasil ser campeão, é claro, mas também para ver bons e substanciais jogos. Ninguém estava contando os dias para assistir Suíça e Honduras colocarem 22 homens em campo que parecem que têm medo do gol. De tomar e de fazer. Eu não fiquei ansiosa para acompanhar Argélia e Eslovênia. Não torci para ver a camisa da Nova Zelândia ou da Coreia do Norte entre os finalistas. Ou vai dizer que você queria?

Coração de torcedora à parte, eu gosto de ver as estrelas em campo e o brilho daquelas seleções que quase chegaram lá. Acho que a Copa do Mundo perde com a saída da Itália e da França. Não necessariamente pelo futebol que apresentaram, mas porque têm história e rivalidade. Que me desculpem as outras, que um dia, quem sabe daqui uns cinqüenta anos, poderão chegar a ter tradição em Copas, mas eu prefiro assistir jogos decisivos com as duas, por exemplo, do que com a Eslováquia e a Coréia do Sul. Ou vai dizer que você não preferia?

É claro que, se tratando de Seleção Brasileira, todos os jogos terão emoção. Dobrada. Primeiro porque a mala está pronta e a porta está aberta pra alguém voltar pra casa ao final de 90 minutos (ou 120 minutos no caso de prorrogação e mais alguns chutes se for para os pênaltis). Segundo, porque o Brasil deixou claro o que muita gente já sabia. Não tem banco ou plano B. Por isso, a cada entrada dura em Kaká, o coração vai quase sair pela boca na expectativa da entrada de Julio Baptista. Se Julio César cair de mau jeito então… É teste pra ver quem consegue ficar em pé.

O Brasil jogou mal contra Portugal. Kaká e Robinho, mesmo quando não jogam o seu melhor, fazem muita falta. Daniel Alves não entrou bem. É o curinga de Dunga, mas talvez renda mais na lateral-direita, onde está destruindo no Barcelona. É um pecado ter dois laterais excepcionais e de mesma qualidade na direita e outro tão ineficiente na esquerda. Mesmo pegando um caminho teoricamente mais fácil até a final, o Brasil é garantia de muita emoção.

Amanhã, o Brasil é favorito. O Chile não só é freguês como parte pro jogo, abrindo caminho para o nosso contra ataque letal. O problema é que ninguém garante que o Chile não vai modificar seu jogo para forçar a criatividade do nosso meio de campo. Se for o caso, pode preparar o repertório de palavras feias para direcionar à eterna dificuldade de saída de bola de nossos intermináveis volantes. Com a bola chegando ao nosso ataque, é o Chile que vai sofrer. Se a zaga titular chilena já é fraca, não espero coisa melhor da reserva. Passando pelo Chile, a pedreira deve ser contra a Holanda. Na semifinal, fugimos das grandes até a chegar à maior e mais emocionante final de todos os tempos e de todos os mundos contra a Argentina, segundo minhas previsões. Ou vai dizer que você prefere sem emoção?

PRETINHO BÁSICO
Brasil e Chile já se enfrentaram duas vezes em Copas do Mundo. Na semifinal de 1962, o Brasil venceu por 4×2 e nas oitavas-de-final de 1998, por 4×1. Ao todo, 65 partidas, com 46 vitórias para o Brasil e apenas 7 derrotas. A última vitória chilena foi em agosto de 2000 (3×0) nas eliminatórias para a Copa de 2002.

ESPORTE FINO 
Para o jogo com o Brasil, o Chile perdeu dois jogadores que tomaram dois cartões amarelos na 1ª fase – além de um expulso – e, pela regra, ficam suspensos por um jogo. No Brasil, ninguém está fora, mas Luís Fabiano, Felipe Melo, Juan e Ramires já têm amarelo. Outro e ficam fora das quartas. Na semi, os cartões são zerados.

Coluna publicada no Correio* dia 27.06.10

Comments Nenhum comentário »

Passando por aqui pra avisar que neste domingo (27.06) vou participar de uma matéria feita pelo Maurício Kubrusly para o Fantastico. Já dá para imaginar que tem a ver com Copa do Mundo, mulheres e futebol, né? Mas não conto mais nada pra não estragar a surpresa! Portanto, assistam!! ; )

Comments 6 comentários »

 

Meus erros e acertos para as oitavas de final de acordo com minhas previsões em post anterior.

Grupo A  É o quarteto mais complicado de prever. Nenhuma seleção desse grupo está entre os meus favoritos e nenhuma é uma completa surpresa. Aposto, com desgosto, na França e no Uruguai.

Acertei no Uruguai, mas errei feio em apostar na França.

Grupo B  O atrativo aqui é a Argentina, não tem pra onde correr. Maradona pode até ser um trapalhão como técnico, mas acredito que Messi e seus três mosqueteiros (Tevez, Higuaín e Milito, sem contar Palermo e Aguero) vão fazer estrago nesse mundial. A Coreia do Sul fica com a segunda vaga.

Bola cheia pra mim!

Grupo C  Aposto na dupla cercada de segurança: Inglaterra e Estados Unidos. Os inventores do futebol estão entre os meus favoritos e os Estados Unidos, mesmo fraco, é a minha zebrinha.

Mais uma bola cheia!!

Grupo D  Bem ou mal, a Alemanha vive chegando numa final. Não está entre as minhas candidatas ao título, mas segue adiante tranquilamente. Gana e Sérvia brigam pelo segundo lugar, mas a Sérvia passa de fase.

A Alemanha passou, mas a Sérvia me decepcionou.

Grupo E  A Holanda está passeando em campo e é favorita no grupo. Com um futebol bem abaixo, Dinamarca e Camarões disputam a outra vaga, que fica com o país nórdico.

Ponto pra mim em apostar na Holanda, mas subestimar o Japão.

Grupo F  A Itália não deve ir muito longe, mas, diante dos adversários, passa para as oitavas junto com o Paraguai, mesmo sem Cabañas.

A Itália foi embora, mas acertei o Paraguai.

Grupo G  Esse é fácil de palpitar! O Brasil sai em primeiro para fugir do confronto com a Espanha na fase seguinte e Portugal belisca o segundo lugar.

Não foi muito difícil cravar esse grupo.

Grupo H  Sensação da Copa, a Espanha do toque de bola, ao menos num primeiro momento, não vai amarelar. O Chile completa o grupo de 16 equipes que continuam a sonhar com a taça do mundo.

Mais um grupo!

No fim das contas acertei 12 de 16 Seleções. Acho que fui bem! E vocês? Acertaram mais ou menos do que eu??

Comments 1 comentário »

 

Maradona virou “O” cara da Copa. Alegre, paizão, carinhoso, carismático. Conquistou um monte de gente que não gostava da “metida” e insuportável Argentina. Em seu personagem atual, leva para a Copa do Mundo de 2010 uma mensagem de que o futebol é uma grande festa, pura diversão. O ex craque não é nenhum estrategista, ele sabe disso, e talvez justamente por isso me passe , hoje, a cada jogo e entrevista, a saudável imagem de que a nossa paixão nacional não deve ser levada tão a sério, a ferro e fogo. 

Futebol, pra mim e aparentemente para o Maradona na Copa, deve ser sorrisos. É por isso que Maradona faz cena (outro dia no treino ajoelhou e implorou para que um repórter tirasse um casaco que ele considerou feio), canta parabéns na coletiva, arregala o olho e faz inúmeras brincadeiras, até agora sempre saudáveis. 

Enquanto isso… Do lado coroa, o porta voz e comandante do nosso futebol xinga, resmunga, desrespeita e ironiza. Logo o Brasil que sempre encantou e teve fama de ter um povo feliz, amigável, acolhedor.

Dunga não tem nenhuma obrigação de distribuir sorrisos a quem quer que seja. Mas, na hora que aceitou o cargo, ganhou junto a obrigação de respeitar os torcedores da Seleção Brasileira. Coisa que qualquer pessoa educada não precisa nem de cargo para fazer.

Comments 8 comentários »

Toda Copa do Mundo encontramos brasileiros que torcem contra a amarelinha. Alguns têm um ressentimento antigo, outros defendem até uma tese maquiavélica que tomaria conta do futebol. Tem uma boa parte, porém, que desistiu de torcer pra Seleção Brasileira por culpa de Dunga. Seja pela forma como armou e convocou o time ou simplesmente pelo mau humor dispensado a todos em frente às câmeras. Dunga tem certeza que a imprensa é sua inimiga e, por isso, faz questão de estar sempre de cara fechada. Esquece que é através dos meios de comunicação que os torcedores se relacionam com o cara que está treinando algo que é patrimônio nacional. É uma pena que os brasileiros não possam conhecer o Dunga Feliz, companheiro e divertido, como relatam os liderados por ele dentro de campo.

Eu não concordo com muitas ideias do nosso técnico. Não levaria Doni, Kleberson e Julio Baptista para África do Sul. Me irrito profundamente com o tipo de jogo proposto por ele. Muitas vezes, não consigo nem assistir uma entrevista coletiva do sujeito. Respeito seu trabalho vencedor, é importante lembrar, mas preferia uma seleção alegre, ousada, criativa e que tivesse algum encantamento.

Apesar de tudo isso, não consigo torcer contra a Seleção Brasileira. Na estréia com a Coreia do Norte, passei muita raiva com aquele primeiro tempo apático, mas não festejei o gol do adversário como um castigo bem merecido. Não quero deixar de comemorar uma Copa do Mundo para “maltratar” Dunga ou tentar provar algum ponto. Admito, no entanto, que tem uma fração de mim, aquela que sonha com o futebol arte, que lamenta torcer por este time. Que teima em ficar triste com a derrota da Espanha e pior, confesso, que tem a audácia de ficar feliz com a vitória da Argentina. E por falar nos hermanos, que personagem maravilhoso é Maradona fora de campo? Passional, eufórico, dramático! Pode até ser duvidoso como treinador, mas inquestionável como garantia de diversão. Trocaria num piscar de olhos uma entrevista coletiva de Dunga pela de Maradona.

Está certo que, no fim das contas, é a taça que vai fazer história e que não trocaria uma campanha cheia de arte e beleza pelo titulo, mas falta alguma coisa. O amor pela Seleção, aquele construído em anos de futebol, através de vídeos de craques e conquistas que não vi e dos ídolos e triunfos que acompanhei, incluindo dois títulos mundiais, este amor não muda. Tenho certeza que ele estará sempre presente. O que falta é a paixão, essa danada cheia de vontade, que decidiu abandonar o jogo. Ela não vai com a cara de Dunga, do seu esquema tático e de seus volantes, mesmo ainda torcendo para que eles sejam campeões. Que o passo de hoje contra a Costa do Marfim seja mais vibrante.

Pretinho Básico
Vencendo o jogo hoje, com Costa do Marfim, o Brasil está matematicamente classificado para as oitavas de final e decide, na última rodada no jogo com Portugal, sua colocação no grupo. Isso é importante porque define o próximo adversário. Se ficar em 1° lugar corre o risco de pegar a Espanha, caso ela saia em 2° do grupo H.

Esporte Fino
Desde a primeira Copa do Mundo, em 1930, o Brasil só foi eliminado na primeira fase em três anos (30; 34; 66). Em outras sete edições (38; 70; 82; 86; 90; 02; 06), teve aproveitamento de 100% na primeira fase. O primeiro jogador a fazer um gol pela Seleção Brasileira foi Preguinho contra a Iugoslávia em 1930.

Comments 3 comentários »

Estou meio sem tempo pra aparecer por aqui, mas depois de uma semana de Copa do Mundo aí vão algumas observações:

A Espanha continua entra as minhas favoritas. Perdeu, mas, na minha opinião, jogou melhor do que o Brasil, que ganhou seu jogo.

Eu já achava que a Argentina ia longe nessa Copa, mas agora estou tendo certeza que a seleção comandada por Maradona vai brigar bonito pela taça.

Maradona é “A” figura da Copa do Mundo fora das quatro linhas e Messi, por enquanto, é “O” jogador dentro de campo.

Esses são meus palpites para os próximos jogos:

Dia 18/06

Inglaterra 2×0 Argélia

Dia 19/06

Holanda 2×1 Camarões (Japão)
Gana 2×0 Austrália
Camarões 1×1 Dinamarca

Dia 20/06

Eslováquia 0x2 Paraguai
Italia 2×0 Nova Zelandia
Brasil 3×1 Costa do Marfim

E vocês? O que estão achando?? Palpites??

Comments 6 comentários »

Eu não esperava uma partida muito melhor do que a vitória apertada (e feia) do Brasil que aconteceu hoje. Dunga é um vencedor na Seleção Brasileira, mas já deixou claro umas trocentas mil vezes qual é o jogo dele. O Brasil que tenta o hexacampeonato não é muito divertido, encantador ou qualquer coisa do tipo. É no estilo vence e não convence. O fato de não me surpreender tanto assim com a estréia brasileira, no entanto, não significa que ela tenha sido boa. Foi ruim e nos primeiros 45 minutos, vergonhosa.

Para mim, entre as grandes, o Brasil teve o pior início de Copa do Mundo. A Alemanha ganhou bem (e bonito) e se tornou, de repente, favorita de muitos. A Argentina venceu apenas por um gol, mas criou boas e várias chances de gol contra um time mais forte que a Coreia do Norte. Achei que Holanda e Inglaterra apresentaram seu cartão de visita e até a Itália, com um time limitado, mostrou que tem algum potencial. Entendam, não estou dizendo que estas Seleções são melhores que o Brasil, apenas que, dentro das possibilidades e do potencial competitivo delas, o Brasil falhou. Confesso que estou ansiosa para ver a Espanha.

O primeiro tempo do Brasil foi terrível. O jogo se resumia à algumas tentativas isoladas de Robinho enquanto os outros jogadores esperavam a bola a chegar de bandeja no pé. Kaká não se movimentou (podemos dar um justo desconto ao nosso camisa 10) e a saída de bola ficou lá, travada na marcação do inocente time coreano. Foi assim com outras Seleções fracas, como a Bolivia (Brasil 1×2 Bolívia) e a Venezuela (Brasil 0x0 Venezuela) pelas Eliminatórias 2010.

O segundo tempo foi melhor, o time se movimentou, correu mais e deu mais qualidade e velocidade ao passe. Mas sem exageros. O três pontos, claro, são fundamentais, mas poderíamos ter arrancado um saldo de gols maior, para caso de alguma complicação.

A boa notícia é o que o estilo de jogo do Brasil, baseado nos contra-ataques, funciona melhor em times que saem mais, criam mais e, quase necessariamente, são melhores do que a Coreia do Norte. Caso de Costa do Marfim e Portugal. A notícia ruim é que no decorrer da competição o Brasil vai pegar equipes ainda melhores e que podem armar uma “retranca” com maior qualidade. Aí a coisa pode ficar feia. Vamos torcer que o Brasil acerte os erros e/ou conte com a sorte. Eu ainda acredito na evolução e vitória da equipe de Dunga, não na beleza.

Comments 3 comentários »

Previsões da minha Jabulani de Cristal


Até que enfim a Copa do Mundo começou! Finalmente, os álbuns da Copa vão recebendo suas últimas figurinhas, os nomes dos craques grudam na ponta da língua e o clima da competição invade o país. Mas, enquanto 736 jogadores correm atrás da Jabulani, na África do Sul, para levantar a taça mundial no dia 11 de julho, aqui no Brasil, milhões colocam suas próprias Jabulanis de cristal em prática. Difícil encontrar um apaixonado por futebol que não esteja participando de um bolão.

Eu, claro, não poderia ficar de fora e, junto com outros amigos, tratei de consultar minha Jabulani de cristal para prever o placar das partidas, quem chega à final, qual é a zebra e por aí vai. Vale tudo! Pesar a camisa, fazer tabelas de média de gols, contas matemáticas, avaliação de jogadores e esquemas táticos e até a velha cara e coroa. Correndo o risco de ter minhas apostas copiadas pelos menos estudiosos, aí vão os meus palpites.

Grupo A  É o quarteto mais complicado de prever. Nenhuma seleção desse grupo está entre os meus favoritos e nenhuma é uma completa surpresa. Aposto, com desgosto, na França e no Uruguai.

Grupo B  O atrativo aqui é a Argentina, não tem pra onde correr. Maradona pode até ser um trapalhão como técnico, mas acredito que Messi e seus três mosqueteiros (Tevez, Higuaín e Milito, sem contar Palermo e Aguero) vão fazer estrago nesse mundial. A Coreia do Sul fica com a segunda vaga.

Grupo C  Aposto na dupla cercada de segurança: Inglaterra e Estados Unidos. Os inventores do futebol estão entre os meus favoritos e os Estados Unidos, mesmo fraco, é a minha zebrinha.

Grupo D  Bem ou mal, a Alemanha vive chegando numa final. Não está entre as minhas candidatas ao título, mas segue adiante tranquilamente. Gana e Sérvia brigam pelo segundo lugar, mas a Sérvia passa de fase.

Grupo E  A Holanda está passeando em campo e é favorita no grupo. Com um futebol bem abaixo, Dinamarca e Camarões disputam a outra vaga, que fica com o país nórdico.

Grupo F  A Itália não deve ir muito longe, mas, diante dos adversários, passa para as oitavas junto com o Paraguai, mesmo sem Cabañas.

Grupo G  Esse é fácil de palpitar! O Brasil sai em primeiro para fugir do confronto com a Espanha na fase seguinte e Portugal belisca o segundo lugar.

Grupo H  Sensação da Copa, a Espanha do toque de bola, ao menos num primeiro momento, não vai amarelar. O Chile completa o grupo de 16 equipes que continuam a sonhar com a taça do mundo.

Coluna publicada no CORREIO* dia 13.06.10

Comments 2 comentários »

 

Clique para ampliar

Ficou com alguma dívida?! Pode perguntar!!

Comments Nenhum comentário »


Warning: readfile(../ga.txt): failed to open stream: No such file or directory in /home/claraalbuquerque/claraalbuquerque.com.br/wp-content/themes/mandigo/footer.php on line 356