Arquivo de janeiro 2014

Caminhos, direções, esquerdas e direitas para 2014

Vire a esquerda para mudanças. Se a intenção for seguir o planejado, vire a direita.

Esquerda ou direita?!

E assim o Bahia pegou o caminho da esquerda e o Vitória pegou o da direita.

 

Bahia 2014

Sim, porque o Bahia é um novo Bahia. Um time que mudou de comando, de atitude, de sentimento, de elenco e de posicionamento. Que tirou da bagagem todo o peso que fazia o caminho parecer muito mais longo, tortuoso e embolado. Um caminho que não tinha futuro e que desrespeitava o passado.

O novo Bahia trouxe um técnico com novas ideias e pensamentos modernos. O novo Bahia saltou de 600 sócios para quase 20 mil depois de deixar as malas sem alças pelo caminho. O novo Bahia trouxe reforços e se livrou de fracassos. O novo Bahia deixou o desanimo pra traz e trouxe a força do torcedor pro seu lado durante sua viagem. Uma viagem onde nem tudo é unanime ou correto (eu não teria destravado as portas para a saída de Feijão, por exemplo), mas que tem um destino desejado em comum. E isso faz toda a diferença na mudança.

E por falar em mudança, o Tricolor que veremos em campo está bastante reformulado. Com todos os contratados disponíveis (dois reforços, Maxi e Pittoni e 11 apostas) no papel, eu escalaria um Bahia ofensivo, sem um atacante de referência na área. Maxi faz o que o povo resolveu chamar agora de falso 9 e outros dois atacantes preenchem o ataque pelos lados. Só não vale ficar cruzando pra área, não é?! Tem que ver se o time vai dar liga pra manter a bola no chão nessa formação.

Como opção, torço muito pelo sucesso do garoto Rafael Gladiador. É boa opção usar o centroavante pro segundo tempo de um jogo enjoado, por exemplo. No meio, escalei Branquinho, mas é uma posição que Talisca pode brigar pra entrar. O que é uma boa pro moleque crescer. No mais, só quando a bola rolar.

Agora vamos pra direita. Porque esse é o caminho do Vitória. Um time que fez uma campanha SENSACIONAL em 2013 e quer não quer mudar de rumo. A gente fala tanto da dificuldade de clubes nordestinos (ou com menos poder financeiro) em competir de igual pra igual com os grandes do futebol brasileiro e o Vitória de 2013 (tendo acabado de voltar pra série A) mostrou que é difícil, mas não é impossível.
Escalação Vitoria 2014
E o Rubro-Negro deu uma bela guinada em manter boa parte de seu elenco e o técnico Ney Franco, que conseguiu fazer um Vitória eficiente e bonito de se ver. Sobre a saída de Maxi, pior seria perder Escudero. Ele é o responsável pelo equilíbrio do Vitória em minha opinião.

O Vitória começa 2014 com a quinta marcha engatada, com uma direção clara e muito combustível. Abaixo, minha escalação ideal antes da bola rolar (e uma defesa meio no escuro já que precisamos ver que dupla de zaga vai funcionar)!

Wilson; Ayrton, Dão, Ferrari e Mansur; Cáceres, Escudero e Juan; Marquinhos, Willie e Pedro Oldoni.

Dito isso e já que a Copa do Nordeste COMEÇOU HOJE (corre pra garantir o Esporte Interativo Nordeste na sua telinha, minha gente!!!!!!), vamos aos meus palpites grupo por grupo. Mas, antes, vamos lembrar que:

A Copa do Nordeste terá um calendário maior: em 2014, a Copa do Nordeste começa em janeiro e termina em abril. O sucesso da competição fez com que ela tivesse o tempo de duração aumentado.

A Bola oficial da competição ganhou o nome de Asa Branca, escolha dos próprios torcedores que votaram pela internet. A bola é a primeira do Brasil que tem estampada a marca da competição. Ela foi fabricada em Itabuna, na Bahia, por isso tem a inscrição “made in Nordeste”.

Álbum de Figurinhas: a partir de fevereiro, chega o álbum de figurinhas oficial da competição, feito pela Panini . Além da Copa do Nordeste, somente o Campeonato Brasileiro tem um álbum de figurinhas, no Brasil.

Premiação: as cotas aumentaram, com relação à Copa do Nordeste de 2013. Agora, o campeão pode levar, entre direitos comerciais e bilheteria, R$ 3 milhões.

Estádios de Copa: no ano passado, a inauguração do primeiro estádio de Copa, o Castelão, foi realizada em uma rodada dupla pela Copa do Nordeste. Neste ano, quatro estádios de Copa irão receber jogos da competição: Arena Pernambuco, Arena das Dunas, Fonte Nova e Castelão.

Vaga na Sul-Americana: o campeão da Copa do Nordeste deste ano, garante vaga na Copa Sul-Americana.

Grupo A:
Vitória
, América-RN, Confiança e Sergipe
Grupo B:
Bahia, Santa Cruz
, CSA e Vitória da Conquista
Grupo C:
Ceará, CRB
, Treze e Potiguar de Mossoró
Grupo D:
Sport, Náutico, Guarany de Sobral e Botafogo-PB

Favoritos ao título: Vitória, Ceará, Sport e Bahia (nessa ordem)

Comments Nenhum comentário »

Símbolo vai, ídolo não vem

E lá se vai o pé de Feijão / Foto: Reprodução
Tecnicamente, cada um em sua posição, Rafinha tem mais qualidade que Feijão. Futebolisticamente, cada um em sua emoção, não arriscaria um grão de Feijão por Rafinha.

Feijão é símbolo de um novo Bahia. Um clube que começa de novo, que não é o mais técnico e talentoso do momento e que vai passar uns perrengues por um tempinho ainda. O Bahia que renasce agora é um clube que não tem dinheiro de sobra, que não tem craque de sobra, que não tem gol de sobra, que não tem volante de sobra, que não tem ídolo de sobra, mas que tem alma, muita alma, de sobra e excesso.

Feijão não é o melhor volante dos últimos tempos. Não é um jogador pronto e insubstituível tecnicamente. Ainda tem muito a evoluir. Mas Feijão é o que o Bahia tem mais perto de sua torcida. Feijão é aquele morador de um bairro pobre, é aquele volante que se negou a treinar no rival e é aquele garoto que superou trauma do assassinato de um amigo em um campo de futebol. Feijão é aquele Bahia. Aquele Bahia que a torcida ama. E não é apenas pela disposição em campo com a camisa. É porque quando ele tira a camisa, o escudo tricolor continua no peito.
Eu não trocaria isso por Rafinha, aquele que adoraria ficar no Flamengo, mas que vem pro Bahia como quem vai pro Vitória, pro Coritiba, pro Sport…

Deixando um tiquinho a alma de lado, vamos a essa história de que o Bahia está bem servido de volantes. Segue a lista: Fahel, Helder, Rafael Miranda, Anderson Melo e Diego Felipe. Acho que vai faltar 1° volante… Vamos ver como Marquinhos Santos vai montar esse meio de campo.
Sim, o ataque do Bahia preocupa. Em 2013, o clube teve o terceiro pior ataque do Brasileirão e, ainda assim, perdeu Fernandão, sua maior referência (foram 15 gols do artilheiro do clube no campeonato, seguido de Marquinhos Gabriel, que é meia atacante, com apenas quatro, e que também deixou o tricolor). Na reapresentação, para o ataque, estavam Erick, Nadson, Rafael Gladiador, Zé Roberto, Rhayner, Hugo e Jonathan Reis. Será que Rafinha muda esse panorama?? Ou será que Erick, Rhayner, Zé Roberto, Hugo e o próprio Ítalo Melo, reapresentado como meia, não têm um perfil parecido??

Vale mesmo trazer Rafinha, ainda mais nessas condições, em troca de Feijão?? E tem mais, será que Feijão terá chances no Flamengo? Vai voltar tão melhor do que ficando no Bahia a ponto de valer a pena??

Rafinha pode calar minha boca (\o/ bom demais para o Bahia) e Feijão pode se dar bem e devolver sua alma para o corpo Bahia (\o/ bom demais para o Bahia e para Feijão). Não dá pra fazer previsão. O contrário também poderia dar errado e Feijão fazer uma temporada péssima no Bahia (não dá pra virar ídolo só com personalidade). Ainda assim, diante da situação, eu não teria aberto mão, novamente (como fez a antiga diretoria no caso de Gabriel), de um jogador com o simbolismo de Feijão. Não é todo dia que a gente vê um grão de ídolo em formação. Muito menos com uma história tão gigante. Fica pra próxima semente. Ou não.

OBS. Vale a leitura deste perfil de Feijão feito por Eric Luis Carvalho, no Globoesporte.com, em julho de 2013.

OBS2 (atualizada). Só pra lembrar, apesar do meu terrorismo minha opinião, ao menos foi um empréstimo e não venda!

Comments 2 comentários »


Warning: readfile(../ga.txt): failed to open stream: No such file or directory in /home/claraalbuquerque/claraalbuquerque.com.br/wp-content/themes/mandigo/footer.php on line 356