Arquivo de abril 2015

Acessem: http://www.kickante.com.br/campanhas/os-dez-mais-do-bahia e saibam mais sobre a campanha! Conto com a ajuda e paixão de vocês pelo Bahia! \o/

OS DEZ MAIS DO BAHIA

O Bahia nasceu em 15 de fevereiro de 1989. Enquanto minha mãe gritava pelos dois gols que Bobô marcava sobre o Internacional, na Fonte Nova, meu pai torcia em casa, enquanto cuidava dos filhos pequenos, eu e meu irmão. Naquele dia, eu era apresentada ao clube que tirava minha mãe de casa, mas que fazia ela voltar com sorriso sem tamanho.

Pra tantos outros, o Bahia pode ter nascido em 1959. Pra muitos, com certeza, num dos gols de Léo Briglia, artilheiro do Campeonato Brasileiro daquele ano. Pro seu avô, quem sabe tenha nascido no primeiro título do campeonato baiano da história, em 1931. Pra você, lendo essas linhas, em qualquer uma das outras 44 taças estaduais? Num gol decisivo de Charles? Numa defesa de Nadinho? Ou aos 46 minutos do segundo tempo, no famoso gol de Raudinei?

O Bahia nasce todos os dias pra algum torcedor, a cada gol, a cada história, a cada título, e os ídolos tricolores são essenciais nessa história. Mas existe uma data onde o Bahia nasceu pra todo mundo: 1 de janeiro de 1931. Os 85 anos do Bahia se aproximam e a melhor forma de comemorar esta data é registrar os momentos de emoção que construíram a história e a identidade deste grande clube, não acham?

E vocês, tricolores, podem participar disso, me ajudando a lançar o livro “Os dez mais do Bahia”, que integrará a coleção Ídolos Imortais, da Maquinária Editora.

Felicidade não se compra, mas se escreve! Conto com vocês, tricolores!!!

Comments Nenhum comentário »

Lampião e Maria Bonita em busca da Lampions League

Lampião era alvinegro; Maria Bonita era tricolorLampião era conhecido pela sua disciplina. Gostava de trocar palavras e passes dentro de sua ordem. Daqueles que transformava um bando em time. Era do tipo que preferia controlar a situação, acelerar, desacelerar e ter paciência, a colocar as pernas na frente da bola. Gostava de cozinhar a batalha para, na hora certa, dar o tiro certeiro.

Lampião tinha raízes. Era daqueles que faziam questão de manter seus homens de confiança. E tinha todos os seus capangas muito bem entrosados. Quando algo não funcionava numa das linhas do esquema, tinha alguém pronto no cangaço pra segurar o ataque. Gostava de estudar seus adversários, mas gostava ainda mais de deixar seus rastros pelo caminho.

Lampião era seguro de si. Daqueles cangaceiros que não esqueciam seus valores e virtudes, independente do tempo. Do tipo que confiava em sua artilharia, mesmo que ela tivesse mais anos do que muitos naturalmente desejariam. Gostava de não ter dúvidas e era muito bem resolvido com quem era.

Maria Bonita era conhecida pela sua emoção. Daquelas que tirava qualquer um do sério com seus rompantes e dramas. Do tipo que colocava o coração na boca a cada jogo. Daquelas que, muitas vezes, não olhava pra trás porque o objetivo estava era na sua frente. Gostava de arriscar e tinha atributos para colher as recompensas.

Maria Bonita era rápida e caceteira. Preferia os batimentos que a velocidade lhe dava à passividade de uma presa. Era daquelas que se alimentava de adrenalina, que crescia nas horas difíceis e que deixava seu sangue quente queimar quem atravessasse seu caminho. Gostava de ser predadora e de levar a taça pra casa.

Maria Bonita era formosa. Do tipo que sabia usar a criatividade pra virar o pescoço dos passantes. Na flor da idade, tinha energia de sobra pra evoluir, mas já era sagaz pra saber que a ansiedade não conquistava nada. Gostava de ser notada, admirada e muito bem amada.

Lampião era alvinegro. Tinha cinco vitórias e cinco batalhas empatadas. Invicto, já tinha acertado o alvo trezes vezes. Maria Bonita também tinha cinco batalhas vencidas e cinco empatadas. Também tinha flechado treze vezes a rede. Mas Maria Bonita era Tricolor.

Lampião era Ceará. Maria Bonita era Bahia.

Lampião queria aprender a fazer renda com Maria Bonita. Maria Bonita queria aprender a namorar com Lampião. No fim, eles poderiam até se apaixonar (e eu estou torcendo por um jogo de conquista daqueles), mas apenas um deles ainda pode levar taça da Lampions League. Quarta-feira a gente começa a escrever o fim dessa história. Que vença a melhor conquista!

p.s.1 ATENÇÃO, TRICOLORES: quarta-feira também tem novidade especial pra vocês aqui no blog, no face, no twitter! O André Henning anuncia em seu o programa, o No Ar com André Henning, às 13h, no Esporte Interativo e Ei Plus e depois vocês ficam sabendo de tudo por aqui! Tenho certeza que vocês vão gostar e me ajudar na missão! Fiquem ligados!!

p.s.2 O Esporte Interativo e Ei Plus transmitem o jogo para todo o Brasil. Quarta, a cobertura começa às 13h, com o No Ar com André Henning, direto da Fonte Nova, e o canal segue com uma grande cobertura dessa histórica final!

 

Comments 5 comentários »


Warning: readfile(../ga.txt): failed to open stream: No such file or directory in /home/claraalbuquerque/claraalbuquerque.com.br/wp-content/themes/mandigo/footer.php on line 356