Arquivo de março 2016

Pode gritar: o futebol não é só deles

feminism

A gente sabe que o futebol já foi somente deles. A gente sabe que fazia parte do contexto da época leva-los aos estádios e nós, não. A gente sabe que eles chegavam à maior idade com uma bagagem futebolística que quase nenhuma de nós tinha. A gente sabe que, não faz muito tempo, no jornalismo esportivo, mulheres não entrevistavam, mulheres não faziam reportagens, mulheres não comentavam. Isso sem falar das outras áreas ligadas ao esporte, como arbitragem, pesquisa, medicina, etc. Mulheres não eram permitidas no mundinho redondo, conservador e machista em que eles, homens, reinavam.

No fim das contas, o contexto do futebol apenas refletia (e reflete) a sociedade em que estava inserido. Nenhum mistério nisso. E muita coisa mudou. Tanto foi conquistado, na marra, pelas mulheres. Mas, ainda que sejamos maioria da população (51,5%), o sentimento é de minoria. Os números sobre violência contra a mulher, no Brasil, são alarmantes. Uma consequência clara da relação de poder entre quem quer dominar e quem é dominado. Evidências de que a igualdade de gênero, o combate ao machismo e o empoderamento feminino não são “modinhas de mulher”. Não são assuntos pra fazer pouco caso. É preciso falar sobre isso em todos os aspectos, em todas as áreas, em todos os níveis. E esse é um grito que precisa ser levantado também no mundo do futebol.

Porque a campanha ‪#‎PrimeiroAssédio‬ não é brincadeira se as mulheres têm o receio de ir a um estádio de futebol por conta do assédio e da violência verbal que terão que aguentar.

Porque “o mundo não tá ficando muito chato” quando uma repórter é obrigada a ouvir brincadeirinhas sobre como conseguiu aquela entrevista. Talvez, pro cara machista que levanta essa bola, o mundo esteja ficando mesmo chato. E, pra ele, tomara que fique cada vez mais.

Porque a campanha Chega de Fiu Fiu não é frescura quando a mídia trata atletas de alto rendimento como musas, quando reforça a ideia da mulher no meio esportivo como objeto decorativo (ou pior).

Porque o preconceito está lá quando praticamente não existem comentaristas mulheres. E sou uma privilegiada aqui por ter meu espaço no Esporte Interativo, dos campeonatos estaduais, passando pela Copa do Nordeste, à Liga dos Campeões. Mas não sou (nem NINGUÉM é) obrigada a ler, a cada hashtag lançada durante as transmissões, homens dizerem que eu deveria estar lavando louças (sim, eu leio isso), cozinhando (sim, isso também) ou fazendo algo relacionado à minha sexualidade (e eu estou sendo bastante educada aqui, porque vocês sabem exatamente do que estou falando nesse caso). Sem falar nos xingamentos.

Mas a gente vai gritar. E, cada vez mais, eles vão ouvir. E vai ter mulher, homem, arara e arroba aumentando a nossa voz (e, aqui, preciso registrar: o número de mensagens de apoio, carinho e incentivo que recebo, nessas mesmas hashtags, é imensamente maior do que os ataques de gênero).

Porque feminismo não significa que queremos mais oportunidades que eles. Não significa que queremos ser tratadas melhor do que eles, que queremos ganhar mais que eles, ou que queremos estádios onde homens não possam entrar. Feminismo é igualdade. Pode conferir em qualquer dicionário, em qualquer enciclopédia ou até mesmo na Wikipedia. Não há desculpas pra não se informar. Os machistas que tentam diminuir as mulheres não podem mais se sentir à vontade no mundo do futebol.

Hoje, no nosso dia, todo dia, veja só, não queremos que homens sejam assediados, desrespeitados, subvalorizados, ameaçados e excluídos do futebol simplesmente por terem nascido do gênero x ou y. Passamos por isso e, acreditem, não desejamos a ninguém.

O futebol não é mais só deles. Nem queremos que seja só nosso. Ele deve ser de todo mundo.

Parabéns, mulheres!

Clara Albuquerque
‪#‎LugarDeMulherÉNoEsporte‬

Comments Nenhum comentário »

Copa do Nordeste 2016

Se Maria Bonita pede, Lampião atende. Então, depois de acirrada votação (só que não!), no twitter, o tema escolhido por vocês para a semana foi a Copa do Nordeste, essa linda. Chegamos exatamente na metade da primeira fase, e teve muito candidato a Lampião decepcionando sua Maria Bonita (oi, Caerá!), enquanto outros, mesmo sem muitas flores (olá Bahia!), têm ganhado novas chances da moça. Em geral, temos um início de Copa do Nordeste bem equilibrado, com poucas paixões arrebatadoras, o que significa um final de fase emocionante. Grupo por grupo, então, vamos analisar as possibilidades de conquista.

Vai começar a Copa do Nordeste

Grupo A: Raposa assanhada
O Campinense, atual líder do grupo começou bem a temporada e ainda está invicto em 2016 (incluindo estadual e Copa do Nordeste). Se o time não é completamente envolvente, tem peças eficientes, como a atacante Rodrigão, um dos artilheiros da competição. Acreditava que o ABC, de volta à Copa do Nordeste depois de um 2015 ruim, pudesse brigar por uma vaga, mas as atuações do time arrasaram os corações de seus torcedores. Está fora da briga. Salgueiro sai na frente pela segunda vaga, mas tenho a impressão que este grupo vai colocar apenas um integrante na próxima fase.

Grupo B: O escolhido
América e CRB brigam por classificação e o encontro entre eles nessa 4º rodada pode definir muita coisa. Quem vencer, pra mim, garante a primeira colocação e a chance de seguir cortejando a Maria Bonita. O outro tem a possibilidade de ficar com uma das vagas dos melhores segundo colocados, mas não é o caso com os atuais números. Apesar do Coruripe ter um dos artilheiros da competição, junto com o Estanciano, devem sonhar pro ano que vem.

Grupo C: Tricolor conquistador
Mesmo sem convencer em todas as partidas (em especial, na estreia, diante do Santa Cruz), o Bahia é o único time com 100% na competição e com Hernane, um dos artilheiros da competição, em ótimo relacionamento com a bola. Com uma agenda, no mínimo, embolada, prevejo um tropeço em algum momento. O time viajou para o exterior (e foi goleado por 6×1) e vai atuar dois dias depois de voltar dos Estados Unidos. Não acho que a equipe vai sentir tanto o motivacional, mas o problema será o desgaste físico justamente quando os jogos entram numa fase mais decisiva. Ainda assim, pra mim, o encontro na próxima fase tá garantido. Em segundo lugar no grupo, o Santa Cruz tropeça e precisa vencer os dois próximos jogos, na teoria, contra adversários mais fracos pra tentar manter a classificação como um dos melhores segundos colocados. O time está se garantindo nas quartas, hoje, no limite, com um gol a mais que o Salgueiro, o 2º no grupo A, pois os dois têm o mesmo saldo. Juazeirense e Confiança ainda não venceram na competição. Não acredito em classificação para a dupla.

Grupo D: Baião de dois
Diferente do Santa Cruz, que também começou a mal a temporada, mas ainda não conseguiu evoluir, o Sport já mostra alguma evolução e é mais regular. É aquela história, Falcão fez ótimo trabalho de “bombeiro” no segundo semestre de 2015. Agora, com peças de reposição bem interessantes, como o colombiano Lenis, o técnico tem a chance de construir o time do início. Segundo colocado no grupo, o Fortaleza tem grandes chances de acirrar a briga pela primeira posição, já que os dois ainda se encontram (no Castelão). Hoje, os dois estariam classificados, e minha previsão é de que este grupo deve mesmo ceder dois postulantes ao coração da Maria Bonita para a próxima fase. Não imagino River e Botafogo surpreendendo.

Grupo E: A reconciliação
Depois de perder a vaga por motivos extra campo, em 2015, o Sampaio começou bem o regional e parece que dessa vez vai! Ainda que tenha mudado muito de 2015 pra 2016 e que tenha muitos pontos a melhorar, a Bolívia Querida saiu na frente num grupo que tinha um favorito, mas que decepcionou demais, o Ceará. Se o time de Lisca corre o risco de ficar pelo meio do caminho, sorte do Vitória da Conquista. O Bode ainda não embalou no campeonato baiano, mas conseguiu bom resultados no regional e sai na frente do Ceará pela segunda colocação. Hoje, com seis pontos em três partidas, está na zona de classificação para o mata-mata do torneio como um dos melhores segundos colocados. Vale lembrar que na próxima rodada enfrenta novamente o Flamengo-PI, pior time das três primeiras rodadas. Estão aqui nesse grupo, as grandes surpresas do coração, digo, da competição.

Resultado da votação do tema:
Copa do Nordeste 69%
R$ e Salários da bola: 17%
Libertadores: 14%

Comments Nenhum comentário »


Warning: readfile(../ga.txt): failed to open stream: No such file or directory in /home/claraalbuquerque/claraalbuquerque.com.br/wp-content/themes/mandigo/footer.php on line 356