Jogo dos sete erros do futebol brasileiro

O futebol brasileiro é um jogo de muitos erros. Em campo e fora de campo. São quantos você quiser achar. Este blog decidiu escolher sete deles e começará, a partir de hoje, uma brincadeira. Você lê os dois textos e encontra o erro entre eles. Garanto, não será difícil. E, garanto também, isso é uma obra de ficção, mas qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência.

7 erros

Erro 1 – O ciclo do imediatismo

Você é um clube de futebol brasileiro. Decide apostar num técnico “diferente”. Um estrangeiro, quem sabe. Traz o cara no meio da temporada, entrega um time desmontado e tecnicamente questionável. Ele pede reforços. Você traz alguns jogadores da confiança e do mundo dele. O time demora a engrenar, afinal, é ruim mesmo. A conclusão lógica é que você tomou muitas decisões erradas desde sempre, mas que, apesar dos resultados ruins, agora você tem um planejamento. Mesmo que os resultados só sejam para o ano que vem, você escolheu interromper a bola de neve infinita de erros por cima de erros. Tem consciência que o problema é maior do que nove derrotas. Você é um clube de futebol brasileiro, mas decide quebrar a lógica doente dos times brasileiros.

Você é um clube de futebol brasileiro. Decide apostar num técnico “diferente”. Um estrangeiro, quem sabe. Traz o cara no meio da temporada, entrega um time desmontado e tecnicamente questionável. Ele pede reforços. Você traz alguns jogadores da confiança e do mundo dele. O time demora a engrenar, afinal, é ruim mesmo. A conclusão lógica é que você nunca tomou decisões erradas, apesar dos resultados ruins, e que você segue um planejamento: o de nunca tê-lo. Você não quer saber de resultados para o ano que vem, então você coloca mais velocidade na bola de neve infinita de decisões por cima de decisões. Tem a certeza que o problema não é maior do que o técnico e os próximos três pontos. Você é um clube de futebol brasileiro e isso é o que os times brasileiros fazem.

Comentar

*