Jogo dos sete erros do futebol brasileiro – Erro 4

O futebol brasileiro é um jogo de muitos erros. Em campo e fora de campo. São quantos você quiser achar. Este blog decidiu escolher sete deles e começará a partir de hoje uma brincadeira. Você lê os dois textos e encontra o erro entre eles. Garanto, não será difícil. E, garanto também, isso é uma obra de ficção, mas qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência.

Erro 4 – Torcidas organizadas ou muito mais do que isso

Foto: Reprodução

Há quantos anos discutimos as torcidas organizadas? Há quanto tempo jornalistas e estudiosos noticiam e escancaram o perigo no qual esse segmento do futebol se tornou? Rodada após rodada, as situações se repetem e a gente se repete. Pode procurar aqui no blog e você vai encontrar diversos textos sobre o assunto. Todo mundo já sabe que estes elementos não são fruto do amor pelo futebol e, sim, de uma sociedade doente que não educa, não dá oportunidades, não pune de forma adequada e, pior, depois de tudo isso, não aprende também.

Mas, daí, imagine só, você é um clube de futebol brasileiro e sabe de tudo isso. Você tem milhões de torcedores e um potencial imenso de agradá-los (não apenas com vitórias em campo, mas com serviços, afinal, eles são clientes), mas você prefere agradar e se tornar refém de uma minoria que quebra seu estádio, arranja briga, faz você perder mando de campo e receita, explora sua marca sem te pagar nada, ameaça seus jogadores e outras atrocidades mais. Eles pedem, por exemplo, pra você tirar as cadeiras do espaço onde eles querem ficar e você faz o que? Tira! E eles fazem o que? Brigam! E você faz o que? Nada! E na rodada que vem a gente vai fazer o que? Falar de novo da violência! E os marginais vão fazer o que? Ganhar ingresso (do jogo que não for de portões fechados)! E aí se o time perder?! Ameaçam jogador! E a gente pode ficar aqui brincado com mais essa brincadeira até a temporada terminar. E começar de novo…

Comentar

*