Livro Os Sem-Copa

OS SEM-COPA
Craques que encantaram o Brasil e nunca participaram de um Mundial

Os Sem-Copa

Copa do Mundo no Brasil, e quando o assunto é o Mundial, todo torcedor tem um injustiçado na ponta da língua. A jornalista baiana Clara Albuquerque decidiu, então, convocá-los em “Os Sem-Copa – Craques que encantaram o Brasil e nunca participaram de um Mundial”, lançado pela Maquinária Editora. O livro é uma viagem pelo universo de jogadores brasileiros que tiveram carreiras excepcionais, mas que, pelos mais variados motivos, não estiveram presentes em um Mundial.

A partir dessa premissa, e com rara sensibilidade, Clara costura histórias recheadas de dramas e paixões. De Friedenreich, passando por Oberdan Cattani, Heleno, Tesourinha, Evaristo, até nomes como Geraldo, Roberto Batata e Dener, o livro apresenta, com originalidade, um rico painel do futebol brasileiro. No fim da publicação, pra não deixar faltar ninguém, um capítulo reservado para o “sem-copa” do leitor completa a lista dos vinte e três jogadores que mereciam ter ido à maior competição do futebol mundial.

Resgate
Em 1919, a Seleção Brasileira conquistou o seu primeiro título em uma competição oficial. Naquela época, a Copa do Mundo não passava de um projeto da Fifa, mas muitos campeões do Sul-Americano de 1919 já mereciam a chance de participar de um Mundial. Para eles, faltou Copa – caso de Friedenreich, primeiro grande goleador do futebol brasileiro, que por muitos anos levou a fama de ter feito mais gols do que Pelé. Assim como faltou paz para os jogadores que brilhavam na época da Segunda Guerra Mundial, quando as Copas de 1942 e 1946 não aconteceram. Com Heleno de Freitas no auge, quem sabe não teríamos levantado a primeira taça do mundo bem antes de 1958?

Para outros, o motivo da injustiça foi a falta de sorte, ou o azar de uma contusão às vésperas do evento, como aconteceu com Quarentinha, maior artilheiro da história do Botafogo. Para muitos, como conta um dos capítulos do livro, o problema foi a falta de vitrine. Caso do jogador baiano Apolinário Santana, mais conhecido como Popó, considerado o primeiro craque da história do futebol da Bahia, ou do goleiro Eurico Lara, reverenciado, inclusive, no hino do Grêmio. Naquela época, a Seleção Brasileira era composta basicamente por jogadores que atuavam no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Os capítulos “Faltou Organização”, “Faltou Explicação”, “Faltou Juízo”, “Faltou Tempo” e “Aquele que faltou pra você” completam o livro, que tem prefácio de Mauro Beting e orelhas do jornalista baiano Marcelo Sant’Ana.

“OS SEM-COPA – Craques que encantaram o Brasil e nunca participaram de um Mundial” está disponível nas melhores livrarias do país como  Saraiva, Fnac, Travessa, Cultura e outras.

 

Comentar

*


Warning: readfile(../ga.txt): failed to open stream: No such file or directory in /home/claraalbuquerque/claraalbuquerque.com.br/wp-content/themes/mandigo/footer.php on line 356